17 dezembro 2012

Adaptação/ Readaptação

E como fica se adaptar ou se readaptar a um país? Como é o processo?





Uma vez li que para se adaptar a um novo país, você demora pelo menos 3 meses, e para se readaptar ao seu próprio país, leva até 2 anos. Tenso não é? Eu que o diga, que já estou sentindo o peso da readaptação. Me peguei procurando o interruptor de luz do banheiro no lado de fora; Joguei várias vezes papel higiênico no vaso; Levantei dormindo procurando a luz e dei de cara com a janela; Quase bebi água da torneira; Sai de casa pensando que qualquer um poderia roubar minha bolsa, etc...Sem contar o fuso horário que acaba com sua disposição e também os erros de português tanto na fala quanto na escrita, já que ficamos distante da nossa língua mãe. Ah! E nossos amigos e familiares que nos perdoem, porque ouvirão muita comparação entre os países, é inevitável!
Quando cheguei na Irlanda estava super assustada, é realmente tudo diferente, vai do clima até a comida no mercado. Para se adaptar foi um pouco difícil, tive ajuda de amigos, família sempre presente, skype salva muito, religião...Me aproximar de Deus foi muito importante para me acalmar e ainda ter fé nas coisas que eu estava fazendo. Com o passar do tempo, você se toca do por que está ali, você está realizando o seu sonho e por mais difícil que seja, vale a pena permanecer até o final, você verá o resultado lá na frente, e acredite, vale MUITO A PENA! Depois de pelo menos 3 meses, você já se sente em casa, vai ao mercado, caminha nas ruas, pede informação às pessoas sem medo algum, da informação, vai a Pubs e conversa com todo mundo, viaja, paga as contas , cozinha, lava, passa, limpa a casa, paga aluguel, estuda, trabalha e tudo isso em outra língua...Imagina o tanto de aprendizagem que não terá na sua caixola?
Acredito que para se adaptar/readaptar você precisa primeiro abrir sua mente, fazer as coisas que você fazia no país anterior, ler livros, ver filmes, ir ao cinema, ao shopping, fazer caminhada, ir a parques, e principalmente, estar em contato com os familiares/amigos(se você está em um país desconhecido), e com os amigos que teve por lá(se você já voltou à terra natal). Tentando manter um pouco da rotina que existia, quando piscar os olhos, já estará mais conformado e habituado. O lance é ter paciência, nada melhor que o tempo para te colocar no lugar. Não sei mesmo dizer se o mais difícil é a adaptação ou a readaptação, creio que depende do estado da pessoa na hora da chegada/volta. Se ela tem certeza que era isso mesmo que ela queria, se ela se sentir preparada para essa chegada/volta, conta também o lance psicológico. Esse ai se você não souber controlar, pode pesar bastante em suas escolhas. O importante é ter essa coragem de mudar e a fé de que tudo vai da certo, e no final dá, acredite! vá fundo...GO FOR IT!

Entrevista sobre intercâmbio


E ai galera, tudo bemEssa semana fiz uma entrevista com o Thiago, que está na Irlanda, sobre como eh fazer um intercâmbio, confiram:

video

15 setembro 2012

Dicas de intercâmbio


Para você que quer fazer intercâmbio, aqui vão algumas dicas:




-Tenha certeza se é isso que você quer, porque você que passará por essa experiência, mais ninguém.
- Se quer fechar a viagem por você  mesmo, certifique-se de tudo o que precisa fazer, se quer ir por agência, separe um tempo dos seus dias para averiguar bem que agência você irá fechar, não custa nada ligar, se informar, fazer uma planilha comparando preços e acessibilidades, e o principal, buscar  depoimentos de pessoas que já foram por essa mesma agência.
-Em ambos os casos do item anterior, você precisa buscar informações precisas sobre a escola que quer estudar, ai o que conta bastante são opiniões de ex estudantes.
-Procure se informar ao máximo sobre o país que irá estudar. O clima, a cultura, costumes, pessoas, estilo de vida, cada detalhe conta, quanto mais você estiver por dentro, menos será o choque cultural. PS: Procure saber sobre o clima, e se ele irá influenciar em alguma coisa (Há lugares que são extremamente frios, e acabam deixando a pessoa meio depre, o que não ajuda nada no processo de adaptação).
-Se você está indo sozinho, será muito melhor se tiver algum conhecido por lá, se este não for o caso, faça amizades com pessoas que já estão la, ou que estão indo, mas não se preocupe, em pubs e na escola principalmente, você  irá conhecer muitas pessoas.
-Na hora de procurar uma acomodação, certifique-se que as pessoas com quem você  irá morar são de bom caráter, se a localização é segura, se é perto do seu trajeto para escola. Uma coisa muito importante é não morar com brasileiros, porque ai é português na certa.
-Quando você  se sentir adaptado, ou seja, já tiver resolvido toda a papelada possível, comece, aos poucos, procurando emprego, pegue um modelo de currículo e faça o seu, procure saber que lugares estão precisando, ou simplesmente saia batendo de porta em porta, esse é o jeito mais eficiente de conseguir um trampo. Há também sites que ajudam e indicação de amigos são essenciais.
-Aproveite o clima bom para conhecer outras cidades, praias, lugares históricos e reservar uns dias para viajar para outros países, principalmente se seu destino for a Europa, ja que é tudo pertinho.
- Tenha sempre contato com seus amigos e familiares para não se sentir meio perdido, saber que tem gente que te ama e te apoia mesmo longe, é essencial.
-Aproveite ao máximo a sua estadia, saia bastante, conheça pessoas, treine o seu inglês, mesmo se falar errado, porque você  esta lá para isso mesmo nao é? Voltar frustrado acontece com algumas pessoas, não deixe acontecer isso com você.
-Conheci muitas pessoas com o inglês muitoooo básico aqui, mas quem disse que elas não conseguiram se virar e se aprofundar na língua? Sem crise. Mas se você  já tiver o intermediário, pode ter certeza que você aproveitará mais. Ou seja, procure dar uma incrementada antes de vir.
-Enfim, hoje em dia tudo se encontra na internet, e há um número muito maior de intercambistas, procure adquirir informação necessária para não ter dúvidas.

Qualquer dúvida podem entrar em contato comigo ;D

01 julho 2012

Morar fora...




"Morar fora…
Nao é apenas aprender uma nova língua.
Não é apenas caminhar por ruas diferentes ou conhecer pessoas e culturas diversificadas.
Não é apenas o valor do dinheiro que muda.
Não é apenas trabalhar em algo que você nunca faria no seu país.
Não é apenas conquistar um diploma ou fazer um curso diferente.
Morar fora não é só fazer amigos novos e colecionar fotos diferentes.
Não é só ter horários malucos e ver sua rotina se transformar.
Não é só aprender a se virar, lavar, passar, cozinhar.
Não é só comer comidas diferentes, pagar suas contas e se preocupar com o aluguel.
Não é só não ter que dar satisfações e ser dona do seu nariz.
Não é só amar o novo, as mudanças e também sentir saudades de pessoas queridas e algumas coisas do seu país.
Não é apenas já saber que é alguém do Brasil ligando quando toca seu celular e aparece numero privado.
Não é só a distância.
Não são apenas as novidades.
Não é só uma nova vista ao abrir a janela.
Morar fora é se conhecer muito mais…
É amadurecer e ver um mundo de possibilidades a sua frente.
É ver que é possível sim, fazer tudo aquilo que você sempre sonhou e que parecia tão surreal.
É perceber que o mundo está na sua cara e você pode sim, conhecê-lo inteiro.
É ver seus objetivos mudarem.
É mudar de idéia.
É colocar em prática.
É ver sua mente se abrir muito mais, em todos os momentos.
É se ver aberto para a vida.
É não ter medo de arriscar.
É aceitar desafios constantes.
É se sentir na Terra do Nunca
É querer voltar e não conseguir se imaginar no mesmo lugar.
Morar em outro pais é se surpreender com você mesmo.
É se descobrir e notar que na verdade, você não conhecia a fundo algo que sempre achou que conhecia muito bem: Você mesmo!!!"

E você, topa essa experiência?